quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Direitos Humanos, Saúde e Movimentos Sociais


Conversa com o escritor Dodô Azevedo

A Biblioteca  Parque de Manguinhos convida a todos e todas a participarem  da roda de conversa nesta quarta-feira (29/9), às 17h,  que contará com a presença  de Dodô Azevedo, autor do livro "Fé na Estrada".

2º curso do projeto Casa do Saber



Abertas as inscrições para o segundo curso do projeto CASA DO SABER COMUNIDADES, na Biblioteca Parque de Manguinhos.

Confira os temas, inscreva-se e divulgue




Seminário "Inovação em Atenção Primária à Saúde: um balanço do Programa Território-Escola Manguinhos"



Durante o Seminário "Inovação em Atenção Primária à Saúde: um balanço do Programa Território-Escola Manguinhos", no dia 3 de outubro, das 16h às 17h, será lançado o livro “Pesquisa e Formação na Ação: Todos Somos Aprendizes!”. A publicação é uma coletânea de artigos, entre os quais consta um texto de Felipe Eugênio, professor e da coordenação do PEJA 1 e 2 e integrante da Cooperação da Social da Presidência.

Oportunidade de Trabalho: Jornalista


A Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio da Fiocruz (EPSJV/Fiocruz) está selecionando
candidatos para ocupar 1 (uma) vaga de bolsista na Coordenação de Cooperação Internacional

ESPECIFICAÇÃO DA VAGA
 
Vínculo: Bolsa Fiotec 
Escolaridade:  Nivel Superior Comunicação Social - Jornalismo
Setor Responsável: Coordenação de Cooperação Internacional (CCI)
Período de Envio do currículo: de 25/09/2012 a 05/10/2012
Carga Horária: 40 horas semanais 
Valor da Bolsa:  R$ 3.077,04
 
        Atividades:   
Ø  Comunicação Interna no âmbito da Rede – cobertura de eventos, divulgação interna;
Ø  Produção de matérias para a Revista RETS;
Ø  Produção de conteúdo para o site da RETS (matérias, informes e textos institucionais);
Ø  Atualização das redes sociais – Twitter e Facebook. 
Critérios de Seleção:
Ø Experiência em jornalismo impresso e on-line, como estagiário ou profissional;
Ø Conhecimentos de comunicação institucional;
Ø Domínio na leitura de inglês e espanhol;
Ø Facilidade de trabalhar com fontes documentais;
Ø Domínio de ferramentas de informática e Redes Sociais.
A Seleção será feita através de análise de Currículo, Prova e  Entrevista 

Etapas do Processo Seletivo:    
Fase 1- Análise de currículo
Fase 2 - Prova
Fase 3 - Entrevista 

Os interessados deverão encaminhar os currículos à Seção de Gestão de Pessoas da EPSJV, até o dia 05/10/2012, através do endereço eletrônico  srhepsjv@fiocruz.br
Especificar no Assunto "Vaga  Jornalista CCI".

Observações:
O currículo deverá estar no corpo da mensagem.
Não serão abertos arquivos com anexos.

sábado, 22 de setembro de 2012

Promoção da Saúde com acesso digital

 Imagine divulgar na internet um vídeo de sua autoria e editado por você feito a partir de um celular sobre uma questão que o incomoda como os excessos ou as faltas que ocorrem em Manguinhos, como a água, por exemplo, que pode estar desaparecida e causando imensos problemas; assim como pode aparecer escorrendo pelas paredes de um prédio ou em verdadeiras piscinas de desperdício em algumas ruas em alguma comunidade. 

Mas, também podemos pensar nas coisas bacanas que existem neste imenso território, vivo, dinâmico, cheio de pessoas, espaços de participação e histórias interessantes. Entre os exemplos, quem sabe falar do Espaço Forró, que recebe com tanto carinho as equipes de saúde para rodas de conversas esclarecedoras tanto para os moradores, quanto para os próprios profissionais de saúde.  das histórias é sobre a Escola de Samba de Manguinhos. 

Então... Imagine você fazendo e divulgando no youtube seu vídeo? Não é tarefa difícil, basta ter orientações, muito estímulo que possibilitam as trocas de informações. Pois é... Este trabalho é feito pelo Laboratório Internet, Saúde e Sociedade (LAISS), no antigo prédio da Escola Politécnica. 

O laboratório, coordenado pelo professor André Pereira, oferece, gratuitamente, cursos de informática - programas de escritório, edição de vídeo e internet - para a Comunidade de Manguinhos. 

As aulas acontecem, entre 18h e 19h, durante a semana. Mais informações no local, pelo email laiss@ensp.fiocruz.br, ou através do telefone 2589-2848. 

sexta-feira, 21 de setembro de 2012

Oportunidade de Estágio: Jornalismo

Empresa de médio porte contrata estudantes de Jornalismo para trabalhar em Assessoria de Imprensa.

Critérios: Desejável com inglês (oral e escrito). 

Bolsa Auxílio: de R$ 700,00 + auxílio transporte

Carga Horária: 30 horas semanais 

Currículosselecao1.rj@vencerrh.com.br e recrutamento1.rj@vencerrh.com.br (Assunto: ESTAGIO DE ASSESSORIA DE IMPRENSA) 

Informações: Telefone: 2518-4965 

Se cadastrar no site: www.vencerrh.com.br

Curso de Saúde Comunitária Gratuito


Fil - Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens em Manguinhos

No sábado, 22/09, o Cineteatro da Biblioteca Parque de Manguinhos abre a programação da 10ª edição do Fil - Festival Internacional Intercâmbio de Linguagens

Estão confirmadas as presenças da Secretária de Cultura Adriana Rattes e a Superintendente Vera Saboya. 

O espetáculo de começará às 11h, com distribuição de senhas gratuitas (216 lugares), a partir das 10h. No domingo haverá mais dois espetáculos.

Curso de Qualificação em Participação e Gestão em Saúde


Liberdade de Expressão: Jornalista é preso em Goiás em plena noite de autógrafos de lançamento do seu livro

cristiano-silva
Jornalista foi detido durante evento
(Imagem: Reprodução/Diante do Fato)

O jornalista Cristiano Silva, autor de Operação Ouro Negro – História do milionário assalto aos cofres da Prefeitura de Catalão na gestão de Adib Elias,foi preso nessa quarta-feira, 19, em Goiás em plena noite de autógrafos de lançamento do livro, no campus da Universidade Federal de Goiás (UFG). O juiz André Luiz Novais entrou na instituição, prendeu o escritor e mandou recolher todos os exemplares da obra.
O episódio provocou discussão e terminou na delegacia com Silva e um grupo de manifestantes presos. Atendendo ao pedido do prefeito Adib Elias (PMDB) que está sendo denunciado na obra pelo desvio de dinheiro público, o magistrado recolheu todos os livros. O prefeito alega que a publicação é baseada em provas ilegais, anuladas pela Justiça.
Durante os esclarecimentos do jornalista à polícia, a porta da delegacia ficou tumultuada pela imprensa local. O juiz também aprendeu os equipamentos de alguns cinegrafistas e fotógrafos que estavam registrando a confusão. Ele determinou que todos entregassem suas máquinas e retirou os cartões de memória onde estavam armazenadas as fotos tiradas durante a prisão do jornalista.

Liberado após prestar depoimento, Silva disse que vai recorrer à Justiça para garantir a circulação de seu livro, afirmando que a obra foi construída com base nas investigações do Ministério Público e da Polícia Civil de Goiás. “Os outros livros que doei para a biblioteca da UFG também foram apreendidos. Quis saber que tipo de crime eu cometi, mas o juiz se limitou a fazer um sinal com o dedo para que eu ficasse quieto, caso contrário eu sairia algemado dali”, disse Cristiano à reportagem do DM Online.
Fonte: Comunique-se

Cineasta Zózimo Bulbul completa 75 anos


O cineasta, ator e ativista Zózimo Bulbul completa hoje, 21 de setembro, 75 anos de idade. O cineasta dedicou a carreira ao resgate do que chama de africanidade através do cinema. Com os filmes em que atuou e dirigiu, como em Alma no Olho, Terra em Transe (de Glauber Rocha) e As Filhas do Vento (de Joel Zito Araújo). Ele será entrevistado no programa 3a1, quando falará da trajetória de sua carreira no audiovisual e de como tem enfrentado o preconceito ao longo dessas décadas. Participam do debate a jornalista Renata Moreira Lima e o cineasta Joel Zito Araújo.

Há cinco anos criou o Centro Afro Carioca de Cinema, local destinado a exibir filmes de diretores africanos e afro-brasileiros, além de ser um espaço de encontro e reflexões sobre a arte do cinema. Para 2012 serão abertas oficinas.
Na TV, Zózimo foi o primeiro protagonista negro de uma novela brasileira, fazendo par romântico com Leila Diniz em “Vidas em Conflito”, exibida pela TV Excelsior. No cinema, foi um dos principais atores dos filmes produzidos no movimento do Cinema Novo. Além de ator, realizou trabalhos como diretor e roteirista. Seu mais famoso filme como diretor foi “Abolição” (1988), que marcou o centenário da Abolição da Escravatura no Brasil.

Abertas inscrições para Programa de Estágio 2013 da Editora Globo

Até 12 de dezembro, estudantes universitários com formação prevista entre dezembro de 2013 e dezembro de 2014 podem se inscrever no Programa de Estágio da Editora Globo. Os candidatos terão a oportunidade de atuar nas áreas Digital, Sites, Jornalismo, Comunicação Corporativa, Livros, Financeiro, Negócios de Publicidade, E-commerce, Comércio Exterior, Jurídico, Projetos Publicitários, Marketing e TI. O processo de seleção será feito inteiramente pela Editora Globo e os estagiários terão carga horária de seis horas diárias, de segunda a sexta-feira, com horários flexíveis.

estagioglobo2109
Programa dará oportunidade para estudantes atuarem em diversas áreas (Imagem: Reprodução)
Critérios: Concluir a graduação entre dezembro de 2013 e 2014; ter português e inglês fluentes; ser apaixonado/a por conteúdo e informação; ter conhecimento sobre diferentes mídias e redes sociais. 

As vagas são para estudantes de Jornalismo, Design Gráfico, Design Digital, Design Multimeios, Comunicação Visual, Desenho Industrial, Tecnologia da Informação, Análise de Sistemas, Ciências da Computação, Administração, Economia, Contabilidade, Engenharia de Produção, Letras, Produção Editorial, Marketing, Publicidade e Propaganda e Direito.

Os candidatos poderão acompanhar o andamento do processo e receber dicas para melhorar o desempenho durante a seleção pelos canais das redes sociais do Programa no Facebook e no Twitter. As inscrições podem ser feitas por meio do site da editora (http://editoraglobo.globo.com/estagio/)

Fonte: http://portal.comunique-se.com.br/

Áudio-visual sobre relações raciais para Escolas, Gratuito

A série "Debates e perspectivas para a institucionalização da Lei no 10.639/2003", desenvolvida pelo Programa Brasil-África: História Cruzadas, tem como objetivo divulgar as contribuições realizadas pela UNESCO para implementar e institucionalizar a Lei no 10.639, de 2003. A série se inicia com as discussões desenvolvidas no decorrer dos eventos de lançamento da edição em português da Coleção História Geral da África da UNESCO, realizados no primeiro semestre de 2011.

O lançamento da Coleção é resultado da parceria da Representação da UNESCO no Brasil com o Ministério da Educação e a Universidade Federal de São Carlos. Os eventos contaram com a presença de expositores nacionais e internacionais, que potencializaram trocas de experiências e discutiram, de forma profunda, temas de história e cultura africana e afro-brasileira e da educação das relações étnico-raciais. 

Tais debates possibilitaram um mapeamento de necessidades e perspectivas para a implementação das diretrizes curriculares nacionais para a educação sobre relações étnico-raciais, história e cultura africana e afro-brasileira no sistema da educação básica do país e, ainda, foram apresentadas possibilidades de uso da Coleção HGA como um subsídio para a sua efetivação.
Fonte: http://www.unesco.org/new/pt/brasilia/about-this-office/single-view/news/debates_e_perspectivas_para_a_institucionalizacao_da_lei_106392003/




Projeto de Lei pelo Fim dos "Autos de Resistência"


“Resistência seguida de morte” ou “autos de resistência”: práticas comuns no Brasil e pouco regulamentadas. Nesta conta, estão casos de homicídios que não são levados à  Justiça, pois são baseados na mentira de que não há o que se investigar diante da possibilidade de a vítima ter resistido violentamente a uma ação policial, contrapondo, assim, o Estado Brasileiro à sua própria Constituição e às regras internacionais de proteção aos direitos humanos das quais o Brasil é signatário.

Estas observações (ou constatações) integram projeto de lei do deputado paulista Paulo Teixeira (foto) que, no dia 10/09, que prevê a garantia da preservação dos 
meios de prova em relação à perícia, à coleta, conservação e exame dos vestígios e a coleta da maior amplitude possível de elementos materiais aptos a permitir a correta e isenta apuração pelos órgãos do sistema de justiça, sempre que da ação dos agentes do Estado resultar ofensa à integridade física de qualquer cidadão.

A proposta assegura ainda que não haverá mais uma tramitação específica de procedimentos que tenham como objeto central a resistência, sempre que esta tiver como resultado uma ofensa física ou morte, afastando assim, qualquer possibilidade de que uma eventual resistência de um cidadão a ordem legítima de autoridade pública prevaleça sobre eventual consequência letal da ação do agente público. Visando a ampliação do controle e da fiscalização sobre a atividade de segurança pública, de maneira eficiente e independente, de modo a diminuir excessos e garantir a responsabilização pelos atos que não esteja condizentes com as conquistas do Estado Democrático de Direito e com os anseios sociais pela redução da violência estatal e da letalidade de suas ações.

De acordo com a justificativa apresentada na Câmara, o PL surge a partir da comoção de diversos operadores do sistema de justiça, profissionais de segurança pública e da sociedade civil organizada, atentos à necessidade de correta apuração de casos envolvendo letalidade no emprego da força estatal.
 
 
 
Descrição: logo

Dia Mundial sem Carros - dia 23 de setembro

Dia Mundial sem Carros - dia 23 de setembro (domingo), Aterro do Flamengo
 
 
Apoie os Educadores de Bicicleta

http://catarse.me/pt/projects/885-os-ciclanos-educadores-de-bicicleta

https://www.facebook.com/OsCiclanos

INICIADA IMPLANTAÇÃO DO ANEL CICLOVIÁRIO DA ILHA DO GOVERNADOR: conquista do cicloativismo

Foi iniciado em Setembro de 2012 a implantação do Anel Cicloviário da Ilha do Governador com 18,5 km e trajeto pela orla marítima e diversos bairros: Uma conquista dos ciclo-ativistas  da Ilha, da  ACIG, nossa atuante  Associação de Ciclistas da Ilha do Governador, da Fecierj, Associação Rio Antigo de Ecologia e Cultura, Os Ilhados e Os Ciclanos, entre outros apoiadores.
A implantação de ciclovias participativas contribuem para a melhoria da mobilidade da população, além de colaborar para reduzir acidentes no trânsito.

Artistas e produtores de projetos de cultura negra pedem ampliação de patrocínio em Audiência Pública na Câmara


Grupo Vocal Sorriso Negro
A política de patrocínio público à cultura negra foi o tema da audiência pública realizada pela Comissão de Educação e Cultura da Câmara dos Deputados, em agosto, em Brasília. 
Representantes dos setores artísticos e de produção cultural do pouco protagonismo na produção da arte e cultura negras, assim como do baixo índice de projetos que conseguem patrocínio, especialmente junto a empresas estatais.Participaram do debate empresas estatais que lançam editais voltados para cultura – como o Banco do Brasil (BB) e a Caixa Econômica Federal (CEF).
De acordo com os representantes do MinC, nos últimos quatro anos, o ministério recebeu cerca de 30 mil propostas de incentivo, das quais 473 eram ligadas à cultura negra. Deste total, apenas 93 projetos foram aprovados para captação de recursos e 25 receberam patrocínio efetivo.



Leia a matéria completa clicando abaixo.

População de rua: ações, perspectivas e desafios


“Os rótulos e estigmas da população de rua precisam ser ressignificados para não haver preconceito e exclusão. O dispositivo Consultório na Rua é potencial para introduzir essa população no Sistema Único de Saúde, tendo como porta de entrada a atenção básica”, destacou o apoiador institucional do Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, Alexandre Trino, no I Seminário de Experiências da Atenção Primária em Saúde com População de Rua. O evento, coordenado pela pesquisadora do Teias-Escola Manguinhos Mirna Teixeira, iniciou na quarta-feira (19/9) e prossegue até sexta-feira (21/9), com apresentações de experiências exitosas no tratamento da população de rua em diversos estados do país. Trino, responsável pela palestra de abertura, explicou conceitos fundamentais para profissionais que atuam com população de rua. Confira na Biblioteca Multimídia da ENSP as apresentações do seminário.

Alguns destaques
Valcler Rangel - vice-presidente de Ambiente, Atenção e Promoção da Saúde da Fiocruz, também presidente da Comissão Brasileira de Drogas e Democracia, representando o presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha  há necessidade de trabalhar a temática das drogas relacionada à população de rua, por meio de uma abordagem integral da questão no âmbito da saúde pública. “O crack e sua relação com a população de rua é o tema que mais nos desafia na saúde pública”. 

Elyne Engstrom - coordenadora da iniciativa Teias - há falta de respostas do setor da saúde em relação à população de rua. “Existem grupos que necessitam de um olhar mais específico e precisam ser incorporados pelo SUS. (...) A concentração de pessoas vivendo na rua em Manguinhos é muito grande e não está relacionada somente ao crack. Existem também o vício em álcool e a extrema pobreza. Para conseguirmos dar assistência a essa parcela da população, é necessária a integração de todos os serviços. Apenas uma iniciativa não resolve a questão. É preciso trabalhar principalmente a atenção básica e a saúde mental para oferecer um cuidado integral.”

Claudia Gomes Paula e Silva - Equipe Saúde e Movimento nas Ruas, do Centro de Atenção Psicossocial (CAP) 1.0 (Região do Centro do Rio de Janeiro) - palestra A experiência na Atenção Primária à Saúde com atendimento à população de rua - A equipe utiliza a psicologia do Programa de Saúde na Família como estratégia de tratamento. É feita, também, a sistematização de estratégias para melhor resultado. A Equipe Saúde e Movimento nas Ruas tem dois anos de atuação e, atualmente, estão cadastrados 4.200 moradores de rua.

Marcelo Soares - enfermeiro da equipe Consultório na Rua do Teias-Escola Manguinhos - Explicou que o território de Manguinhos é coberto pela Estratégia de Saúde da Família, uma parceria entre a Fiocruz e a Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil do Rio de Janeiro (SMSDC-RJ). Ao todo, são 14 equipes atuando, com 7 lotadas no Centro de Saúde Escola Germano Sinval Faria (CSGSF/ENSP) e 7 na Clínica da Família Victor Valla. O Consultório na Rua em Manguinhos, iniciado em 2011, age na lógica da redução de danos, pois trabalha com a saúde pactuada nos princípios dos Direitos Humanos. “Nem todos os pacientes são usuários de drogas que desejam, de fato, largar as drogas. Por isso, atuamos com a lógica da redução de danos”, explicou ele. O perfil dos moradores de rua cadastrados com CR: 56% estão na faixa etária entre 18 e 28 anos, sendo a maioria homens, da cor parda, que passam a maior parte do dia na rua; 47% não possuem nenhum tipo de documento; e 99% são usuários de álcool e drogas - destes, 60% são usuários de crack. Para obter efetividade, é preciso fortalecer o trabalho integrado. 

Daniel de Souza - Programa de Saúde da Família do Jacarezinho (CAP 3.1) - Desde abril de 2012, o projeto atende cerca de 70 usuários por dia, e 90% das demandas são para cuidados clínicos imediatos e de assistência social. “Já realizamos o cadastro de 237 usuários na região; 50,65% homens e 49,3 mulheres, sendo 21 crianças e adolescentes na faixa etária entre 8 e 17 anos. 

Vera Martinez Manchini - Programa de Saúde da Família (PSF), da Secretaria Municipal de Saúde de São Paulo - O programa está em fase de transição de PSF Especial para Consultório na Rua. Hoje existem 10 equipes atendendo a população de rua residente na região central de São Paulo. “Temos 26 mil pessoas morando nas ruas de São Paulo. A maioria adulta (80%) e do sexo masculino. Atuar nessa área é um grande desafio, mas a cada dia aprendemos com as experiências que encontramos nas ruas.”

Fonte: Informe Ensp/Fiocruz - Tatiana Vargas - Publicada em 

Carta-Compromisso com Prefeitáveis na Uerj


Do encontro, ocorrido (18/9) na Uerj, com os candidatos ao cargo de Prefeito da cidade-canteiro de obras para os grandes eventos mundiais, a organização e os presentes ao Fórum de Saúde do Rio de Janeiro entregaram uma Carta chamando os/as candidatos/as à responsabilidade para com a Saúde Pública de qualidade, ou seja, a "defesa do modelo assistencial previsto no SUS constitucional que valoriza a prevenção, a promoção da saúde, a integralidade e a intersetorialidade das ações, na perspectiva de romper com o modelo, centrado na doença e subordinado aos interesses lucrativos da indústria de medicamentos e equipamentos biomédicos, deslocados das necessidades da população que ainda é hegemônico", entre outros pontos a serem destacados adiante.

Apesar do interesse dos/as candidatos/as por palcos como este, em que podem apresentar suas propostas e mostrar-se diante dos holofotes, há candidatos/as que não comparecem, não se expõem, não escutam e não querem escutar as cobranças e propostas de construção coletiva de uma gestão que deveria focar toda a população daquele município. Enfim... neste encontro, três não compareceram: Eduardo Paes (PMDB), Rodrigo Maia (DEM) e Aspásia Camargo (PV).

O debate contou com a participação dos seguintes candidatos e/ou representantes:

- Antonio Carlos Silva do PCO
- Cyro Garcia do PSTU
- Fernando Siqueira do PPL
- Geraldo Nogueira –vice do Otávio Leite do PSDB
- Juliana Fiuza – da direção do PSOL, representando o Marcelo Freixo

Cerca de duzentas pessoas participaram do debate e tiveram presentes várias entidades, partidos, sindicatos, centrais sindicais, movimentos sociais, como Movimento Nacional Quilombo, Raça e Classe; CSP-CONLUTAS; Fórum de Manguinhos/Fiocruz; Associação de Cuidadores; Conselho Comunitário de Manguinhos; Baía de Sepetiba Pede Socorro; Associação de Servidores da FIOCRUZ-ASFOC, entre outros.

Alguns destaques da Carta do Fórum de Saúde do Rio de Janeiro

- Contra todas as formas de privatização da rede pública de serviços com imediata revogação da Lei Municipal que cria as Organizações Sociais (Lei nº 5.096/2009); 

- Garantia de investimento de recursos públicos no setor público da saúde, com imediata retomada da gestão pública das UPAS, Clínicas da Família e demais Programas de Saúde gerenciados por OSs, bem como progressiva estatização dos serviços terceirizados e contratualizados com o setor privado;
- Defesa de 10% do PIB para a saúde, investir 15% da arrecadação dos impostos do município para a saúde;

- Cobrar do governo estadual a aplicação de 12%, conforme Lei Complementar nº 141, de 13/01/2012, que define os valores mínimos a serem aplicados anualmente pela União, Estados, Distrito Federal e Municípios em ações e serviços públicos de saúde; 

- Expansão do acesso a consultas, exames e procedimentos especializados, ampliando investimentos na modernização e atualização tecnológica, e qualificando o sistema de regulação e de fila de espera, com fluxos e protocolos baseados nas melhores práticas e devidamente divulgados;

- Concurso público para trabalhadores da saúde e implantação de plano de carreira no Serviço Público, que assegurando imediata ampliação do quadro de pessoal da Secretaria Municipal de Saúde e Defesa Civil (SMSDC);

- Afirmação das políticas antimanicomiais e ampliação da rede de atenção psicossocial, que inclui os CAPS, CAPSi, CAPS AD, Dispositivos Residenciais Terapêuticos, Centros de Convivência, Consultórios de Rua, entre muitos outros, sempre na lógica da Reforma Psiquiátrica e da Estratégia de Redução de Danos;

- Pelo fortalecimento do Controle Social Democrático, assegurando respeito às instâncias de controle social do SUS, aprofundo-as mediante a instalação de conselhos gestores paritários e deliberativos nas unidades e serviços de saúde.

- Pelo cumprimento das decisões das Conferências de Saúde e das Conferências Intersetoriais de Saúde Mental nas três esferas de governo.

- Por uma sociedade justa, plena de vida, sem discriminação de gênero, etnia, raça, orientação sexual, sem divisão de classes sociais.

quinta-feira, 20 de setembro de 2012

Evento Cultural com Carlos Negreiros, percussionista

A galerinha que gosta de música popular brasileira, em especial o samba, não pode perder a oportunidade de participar do “Pandeiros & Tambores: Carlos Negreiros & Quase Tudo Pandeiro” que acontece no dia 22 de setembro, sábado, a partir das 16h, no Arte Rural – Centro Integrado das Artes, Largo de São Fracinsco da Prainha, nº 4, sobrado, próximo à Praça Mauá, no Rio.

Carlos Augusto de Negreiros Ferreira, mais conhecido como Carlos Negreiros, é um grande percussionista, compositor, cantor brasileiro, diretor musical e estudioso dos ritmos afro-brasileiro que ministrou aulas de percussão no Centro Cultural da Uerj.

Organizações da Mídia Étnica pautam participação nas políticas de Cultura e Comunicação

Entre os dias 17 e 19 de setembro de 2012, comunicadores negras(os) e indígenas de várias regiões do país participaram do Seminário Nacional de Comunicação para a Cultura no Rio de Janeiro. O encontro teve como objetivo contribuir na proposição de ações que resultarão no Programa Comunica Diversidade, do Ministério da Cultura.

Dentre as deliberações do evento estão: a criação de Audiência Pública no Congresso Nacional, proposta pela Deputada Federal Luiza Erundina (PSB-SP), para discutir a participação dos recursos publicitários estatais a veículos da mídia étnica; a realização de um Encontro Nacional em dezembro, com apoio da Fundação Cultural Palmares; e a realização de uma Roda de Conversa sobre esse tema, construída junto a Secretaria Especial de Políticas de Promoção de Igualdade Racial (Seppir).

A luta pela participação negra na comunicação é histórica. Desde a imprensa negra no século 19 até os dias de hoje, dezenas de veículos se dedicam diariamente a cobrirem a cultura e história dos povo afro-brasileiro, porém nunca tiveram uma política pública de investimento e fomento, o que já fez com que vários veículos fechassem as portas.

Apesar de marcos legais, como o Estatuto da Igualdade Racial, as Conferências de Cultura e Comunicação, e tratados internacionais tratarem do tema da participação étnica na mídia, as organizações desse segmento da comunicação ainda são invisíveis para órgãos como o Ministério das Comunicações e as empresas estatais que anunciam, em sua maioria, em grande veículos.  

Dados da Folha de São Paulo, divulgados nessa semana, mostram que 70% das verbas publicitárias do Governo Federal estão concentradas nos dez maiores grupos de comunicação do Brasil. O encontro foi uma oportunidade para que essas organizações da mídia étnica colocassem suas demandas para o Ministério da Cultura que acaba de nomear sua nova gestora, a ministra Marta Suplicy (PT-SP).

Foto: Clarissa Dutra
Em pé, Paulo Rogério (Instituto Mídia Étnica),
Beth de Oxum (
Ponto de Cultura Coco de Umbigada/PE),
Sandra Martins (Cojira-Rio/SJPMRJ e blog Participação Cidadã),
Edvaldo Nabuco (Abrasme), Washington Lúcio (Portal Áfricas),
sentados, Elizandra Souza (Agenda Cultural Periferia) e
Arthur Leandro
 (Instituto Nangeto: Ponto de Mídia Livre – AM)
Segue abaixo texto com reivindicações do segmento.

"O Brasil precisa de um novo marco regulatório para as comunicações, que respeite os Direitos Humanos e o cumprimento do capítulo VI do Estatuto da Igualdade Racial – Dos Meios de Comunicação – e conforme preconizado em acordos internacionais como a Convenção da Diversidade Cultural, Conferência de Durban, Agenda 21 da Cultura, possibilitando ações afirmativas para que mulheres, negras(os) e indígenas possam produzir e gerenciar veículos de comunicação, sejam eles comunitários ou de grande porte. 

Que a Secretaria de Comunicação da Presidência da República replaneje a distribuição de verbas publicitárias para fortalecer e fomentar a mídia étnica que cumpre um papel social importante, dando visibilidade a uma população que não tem espaço na chamada “grande mídia”, comprometendo o reconhecimento das identidades brasileiras.

Que a discussão e implantação sobre a TV e Rádio Digital no Brasil precisa ter a efetiva participação das populações afro-brasileiras e indígenas, em especial, a ocupação dos Canais Cidadania e Cultura.

Que cabe ao Ministério da Cultura fomentar a criação de editais regulares para produção e distribuição de conteúdos produzidos pelo movimento social negro e por povos e comunidades tradicionais de terreiros, indígenas e quilombolas. 

Por fim, que é necessário um programa de fomento à comunicação livre, comunitária e popular em parceria com a sociedade civil para treinamento e qualificação de cidadãos em novas tecnologias de comunicação, leitura crítica da mídia e empreendedorismo na comunicação.

Diversidade étnico-racial deve ser, portanto, essencial na elaboração de qualquer política pública de comunicação e cultura no Brasil."

Assinam:

Portal Áfricas – SP
Instituto Mídia Étnica/Portal Correio Nagô – BA
Comissão de Jornalistas pela Igualdade Racial – Cojira-Rio/Sindicato dos Jornalistas Profissionais do Município do Rio de Janeiro
Rádio Amnésia – Ponto de Cultura PE
Agenda Cultural da Periferia/ Ação Educativa – SP
Instituto Nangeto: Ponto de Mídia Livre – AM
Ponto de Cultura Coco de Umbigada – PE
Raízes Históricas Indígenas – Ponto de Cultura – RJ
Rede de Cultura Digital Indígena –RJ
Blog Participação Cidadã da Cooperação Social da Ensp/Fiocruz